Pages

16 outubro, 2012

Ele disse, ela disse





Ele diz tantas coisas que fica difícil de lembrar, pensa que engana, mas não sabia que ela tinha olhos nas costas e seu cabelo gigante funciona como um radar, quase uma medusa sem ser da mitologia.
Ela disse que ele fez tantas coisas, mas poderia ter feito mais, ido além, ela é assim. O pouco dele foi um mais ou menos com gosto de quero mais. Quem preveria essa carência emocional? Goles de carinho do copo dele não foram o bastante. 
Acho que hoje ela pediu o texto que desabafasse e falasse por si, por ela. Essa mania, falta de crer em si, em beleza, potencial e capacidade torna tudo mais interessante. Ele não disse que estava preso no passado, mas sempre da pra suspeitar dos pássaros livres demais e pra que isso se confirmasse foi preciso um piscar de olhos e duas páginas viradas.

Qual o problema dos homens? Acho que são poucos pra mulheres em quantidade bem maior. 
Ela tá aqui pensando no que muda e no que permanece, e aceita como um clichê que acontecimentos de algum lugar permanecem por lá. Ela disse quem é, falou bastante sobre si, contou até onde iria chegar, sua força era notável inclusive ao caminhar vagarosamente, jogando um olhar de desprezo e cabelos ao vento. O que posso fazer? Ela sempre soube agir como quem não quer nada. 
Logo faz 3 anos que aprendeu a se moldar com cada situaçao e o que vier pela frente, pode ter se deixado sentir, mas foi como uma música velha que ela não ouve mais diz, só por uma noite. Não há lugar que ela não possa ir, de fato, não há. Pensar nunca foi tão lógico, sentir nunca foi tão normal, ao menos pra ela. 

Se comparar, ela não te compra, quem te conhece que te compre, outra reflexão a atravessa, pense mais, quer o encaixe do que já se perdeu, fazendo filmes de momentos pequenos e lembranças grandes de momentos curtos. 
Vem como uma onda, parece leve, suave e sorri, faz isso e depois te derruba. Ela queria ter te levado pra casa. Ou talvez pra algum lugar sem direção. Falsos apaixonados. O olhar dele não tinha profundidade, talvez as palavras também não tivessem, muito provavelmente que ela também não tivesse visto nele seus padrões, tipo preferido, ela deu uma chance para uma novidade mas ao mesmo tempo parou aqui no final de julho e ainda não o encontrou outra vez. Sabe, acho corajoso quem se presta a esperar uma vida toda por alguém, realmente, precisa te faltar amor próprio pra gastar sua vida dando pra outra pessoa o tempo dela, pra um alguém que já fez suas malas e partiu.
Afinal, será que quem ele era o fez ser de verdade? Ou suas impressões te camuflaram? Talvez ele seja apenas medroso ou imaturo, ou os dois. 
Bem que ela sabia dos limites e não há de caber frustração aqui. Ele tem muito a aprender. 
Metáforas não vão mudar, nem histórias, nem nada. Encerra-se aqui e ela ainda está na procura.

Um comentário:

  1. Olá, passei aqui para conhecer o seu blog e adorei tudo!! Já estou seguindo para ficar por dentro de todas as novidades.. Também te convido para conhecer o meu cantinho e se gostar me siga! Vou adorar te ver por lá:

    www.todacharmosa.com

    Se tiver um tempinho curta a fanpage do blog, tem varias dicas, inspirações e um super sorteio!

    www.facebook.com/blogtodacharmosa

    Beijão ♥

    ResponderExcluir